Parklets

1º parklet de Goiânia, projetado pela Sobreurbana em Maio de 2015

Parklets são extensões temporárias da calçada que transformam espaços destinados aos carros em áreas públicas de lazer e convívio para as pessoas.

Ocupam normalmente uma ou duas vagas de estacionamento e oferecem bancos, plantas, paraciclos e outras amenidades para o pedestre e ciclista.

Qualquer pessoa, física ou jurídica, pode implantar um parklet em Goiânia, desde que autorizado pela Prefeitura. Os parklets são financiados pela iniciativa privada e podem permanecer na rua durante três anos, com possibilidade de prorrogar pelo mesmo período.

No Brasil, o investimento em um parklet tem variado entre R$20.000,00 e R$80.000,00, consoante o tamanho e materiais utilizados. É uma estratégia de marketing inovadora, que pode gerar mídia espontânea e que beneficia diretamente a população local.

A Sobreurbana projeta parklets, acompanha o processo de aprovação na Prefeitura e faz a sua instalação no local destinado. Está interessado em instalar o seu parklet? Contate-nos!


 
Origem do parklet

O termo parklet surgiu pela primeira vez em São Francisco, em 2005, para provocar a discussão sobre o espaço público, o uso do solo de forma mais democrática e o conceito de cidade para pessoas. Rapidamente o conceito foi difundido por várias cidades norte-americanas e europeias.

No brasil, o parklet surge em São paulo, em 2012, a título experimental, liderado pelo grupo Parkl[it]. A boa avaliação da população permitiu que a ideia fosse transformada em política pública de ocupação dos espaços públicos da cidade, revertendo áreas originalmente destinadas aos automóveis para as pessoas. Para além de São Paulo, os parklets já se encontram regulamentados ou em vias de regulamentação em outras cidades brasileiras como Salvador, Recife, Fortaleza, Belo Horizonte, Curitiba, Canoas, Blumenau, Goiânia, entre muitas outras.

Espaço público

Apesar de os parklets serem geralmente financiados pela iniciativa privada, os decretos que os regulamentam no Brasil são muito claros ao garantir o seu caráter público, proibindo a sua utilização exclusiva, obrigando até a instalação de uma placa a indicar que se trata de um espaço público de acesso livre a todos os cidadãos. Um restaurante pode instalar um parklet à sua porta, mas não poderá limitar o acesso a quem não for cliente.

Os parklets proporcionam maior interação social, o resgate de narrativas locais e maior segurança, humanizam os bairros, incentivam o comércio e economia local, promovem uma maior oferta de espaços públicos na cidade, o uso de transportes não motorizados e a melhoria da paisagem urbana.

Decreto 791/15 da Prefeitura de Goiânia
Manual de implementação de parklets
 (São Paulo)

A Sobreurbana realiza frequentemente cursos teorico-práticos sobre parklets. A OFICINA DE PARKLET aborda conceitos de urbanismo tático e reapropriação de espaços públicos, trata aspectos legais, técnicos e financeiros sobre execução de parklets no contexto de Goiânia e conta com uma componente prática para ideação e projeto de um parklet.

Confira alguns exemplos de parklets: